A miragem da Vida

Não pertenço a este mundo; num ar cansado e pálido sentou-se numa poltrona velha que se encontrava no meio da sala. Sentia-se que não era igual as outras pessoas,onde a felicidade parecia transbordar-lhes como se fosse algo fácil de conseguir. O Felizberto, de felicidade só tinha no nome, até parecia ser a ironia do destino!Continue a ler “A miragem da Vida”