O amor mata

Não sei o que doi mais, amar as escondidas, sem poder confessar os verdadeiros sentimentos, pois a certeza já sabes que não serás correspondido ou confessar e perder no amor e a amizade! O amor é faca de dois gumes. Mas as vezes fere mais do que uma faca. E as vezes, queima mais doContinue a ler “O amor mata”

Sonhos

-De que são feitos os sonhos? Perguntou o menino olhando para o velho senhor que encontrará sentado a berma da estrada. O velho senhor, não muito surpreso com a pergunta do pequeno, olhou fixamente para ele que parecia um mine-adulto de pé, pois tinha um ar de muito sério e disse: -Sonhos são pedaços deContinue a ler “Sonhos”

A Carta para minha Sobrinha

Sinto-me mais velho a cada dia que passa. Os anos chegam e com eles as responsabilidades. Lembro quando tinha os meus 10 anos e como desejava ter os 18, mas agora com 23 anos só gostaria de recuar um pouco a trás. Está semana um anjo, proclamou na minha janela, dizendo que sou tio-avô, umaContinue a ler “A Carta para minha Sobrinha”

O encontro com a tempestade

Passo, passante largo; deixa saudades que se vai passando com tempo; tempos que se vão e não se voltam. Dançantes trovões me acompanham nesta viagem. O vento ondulante manifesta a sua insatisfação. Observo a magnitude do mar, num vai e vem para que não se perdure a saudade da terra. Lembro que já a seteContinue a ler “O encontro com a tempestade”

Dias Cinzentos

-Chegou a hora; dizia ela com rios de lágrimas no rosto. Um adeus mudo rompeu no fundo do peito; podia ser um até já, mas sabíamos que nesta vida jamais nos encontraríamos. Essa pessoa que se encontrava ali, com a cara pálida estava num sono profundo; o seus cabelos grisalhos transbordava a sabedoria e asContinue a ler “Dias Cinzentos”

A miragem da Vida

Não pertenço a este mundo; num ar cansado e pálido sentou-se numa poltrona velha que se encontrava no meio da sala. Sentia-se que não era igual as outras pessoas,onde a felicidade parecia transbordar-lhes como se fosse algo fácil de conseguir. O Felizberto, de felicidade só tinha no nome, até parecia ser a ironia do destino!Continue a ler “A miragem da Vida”