Categorias
amor Bolhas Nostalgia Saudade Sonhos

Uma questão de tempo

Oh Gizela

Tenho medo! Ultimamente não durmo bem. E os sonos vão e vem; a cada piscar é contigo que sonho. É que receio não ser a pessoa ideal para ti. Receio que te sintas que te desapontei.

Oh Gizela!

Um homem também chora, na sua mais profunda escuridão há uma pessoa frágil e que precisa de uma mão compreensiva. As vezes quando o tempo não está de bem, penso que sou muito imperfeito para ti. Não é que eu queira ser essa pessoa, mas as vezes sem me dar conta faço-te sofrer.

Mas sei que um dia tornarei na pessoa ideal para ti, vejo nos teus olhos uma luz de esperança e essa luz que me faz querer dar tudo de mim. E de querer provar que nem tudo esta perdido. Enquanto essa luz continuar a brilhar nos teus olhos te seguirei até os confins do mundo.

Categorias
Liberdade Sem categoria

A mão de um escritor

Vejo na escrita uma forma de expressar o que o coração senti e não fala. É na escrita onde desabrocho os segredos do coração.

Há quem só fala com as escritas! Como aquela carta de amor; Como que dentro de um envelope pode caber uma vida? A escrita tem o poder de nos permitir imaginar o cenário e de vive-lá. É na escrita onde muitos se refugiam, pois ali consigo ser quem eu quiser.

E assim vou desenhando as letras, assim como um arquiteto desenha o seu projecto, até que forme uma palavra; as palavras por sua vez se formam frases e ganham significado, dando vida as escritas.

Categorias
Amigos Bolhas Motivação Nostalgia Obrigado Saudade

A Carta para minha Sobrinha

cartas-de-amor2-1
  

Sinto-me mais velho a cada dia que passa. Os anos chegam e com eles as responsabilidades. Lembro quando tinha os meus 10 anos e como desejava ter os 18, mas agora com 23 anos só gostaria de recuar um pouco a trás.

Está semana um anjo, proclamou na minha janela, dizendo que sou tio-avô, uma noticia como está deixou o teu tio muito feliz, o que significa também que estou a ficar velho. É interessante como redescobrimos o tempo quando olhamos a nossa volta. Reparamos que o que era pequeno, agora já é grande e o que existia deixou-se de existir. O tempo passa e a criança que fomos um dia deixamos de o ser e adulto que fomos um dia, agora só nos resta cabelos grisalhos na cabeça. Apesar de ainda ser jovem, começo a sentir a responsabilidade de começar a passar bastão para os que vêm, assim como numa corrida de estafeta. Sei que ainda não sabes ler, mas fica apenas umas dicas do teu tio-avô:

Oh minha sobrinha, não tenha pressa em crescer, aproveita cada momento que for preciso enquanto bebé.

Não seja como o teu tio que desejou ser adulto rápido.

Não tenha receio em tropeçar, o teu tio também já tropeçou muitas vezes; o importante é saber sempre levantar. A queda nos ajuda a ser mais forte.

Faça muitos amigos, é importante termos amigos, nos ajuda a crescer como pessoa. Mas também é importante ter melhor amigo, mas vou deixar isso para o teu critério.

Ouvi sempre a mamã, porque a mãe é fonte da vida e não há ninguém no mundo tão forte e corajosa como mãe.

Oh minha sobrinha, é uma honra ter-te na família. Apesar da distância o tio estará sempre aqui para te apoiar.