Categorias
Nostalgia

O encontro com a tempestade

Chuva

Passo, passante largo; deixa saudades que se vai passando com tempo; tempos que se vão e não se voltam. Dançantes trovões me acompanham nesta viagem. O vento ondulante manifesta a sua insatisfação. Observo a magnitude do mar, num vai e vem para que não se perdure a saudade da terra. Lembro que já a sete anos que não vejo a minha terra natal. Oh…tempo inimigo do homem! Terei eu ainda tempo? Do lado oposto da ponte, observo uma jovem a lutar contra o vento, desafiando os seus limites. E assim, a chuva dançava solenemente e o vento guiava-o ao seu belo prazer. Um casal de pássaro alegre banhava nos pequenos riachos que se iam formando com as incontáveis gotas de chuva que se vestia sobre nós. O céu rugia e relampagueava, proclamando o seu nome nos quatro cantos da terra. Enquanto espectador observava tudo o que acontecia ao meu redor e tudo a minha volta tinha mais vida do que eu.