Categorias
amor Bolhas Nostalgia

O amor mata

Não sei o que doi mais, amar as escondidas, sem poder confessar os verdadeiros sentimentos, pois a certeza já sabes que não serás correspondido ou confessar e perder no amor e a amizade!

O amor é faca de dois gumes. Mas as vezes fere mais do que uma faca. E as vezes, queima mais do que o fogo do inferno.

Já vi gente a morrer por amor, mas também pessoas a ser salvo por amor. Já vi país a ser destruído por amor, já vi rio de sangue derramado por amor. As vezes o amor trás mais sofrimento que possamos imaginar. Com o amor tudo se justifica, o amor é hipócrita.

Não sou catedrático no amor, não sou doutor do amor e nem tão pouco tenho uma licenciatura no amor.

Talvez porque o único amor que tive deixei o vento levar.

Por isso, que há quem diga que só se ama uma vez.

Espero que um dia esse mesmo vento me leve para onde está a minha amada. Só quero vê-la uma última vez e gravar de vez essa perfeição na minha alma.

Talvez a encontre…!

Geordias Carvalho

Categorias
Liberdade Mãe natureza Sonhos

A natureza Esquecida

Gosto é da natureza, gosto de ouvir os tin-tirins dos animais, do contacto com o barro; gosto é das coisas simples, dos campos, da gente da terra e da gente como eu. Aqui todos são livres, aqui guiamos pela natureza. Não há liberdade maior que essa! Aqui não há preocupações, não conhecemos a palavra guerra. Aqui vivemos do que a natureza dá, levantamos com o nascer do sol, vamos ao campo e cuidamos dos nossos animais e das nossas plantações e voltamos à casa com o pôr do sol. Aqui todos somos iguais, as mulheres ajudam nos campos. As crianças brincam, saltitam de um lado para outro, brincam com pedaços de paus e cordas; brincam com o que a natureza dá, com um pouco de fios e pedaços de madeiras criam carrinhos de brincar e correm de um lado para outro até não sobrar energia. Aqui somos todos amigos, conhecemos a todos e cuidamos uns e dos outros. Aqui é o início de tudo, onde o único limitador é a própria natureza.

Geordias Carvalho