Categorias
amor Bolhas Nostalgia

O amor mata

Não sei o que doi mais, amar as escondidas, sem poder confessar os verdadeiros sentimentos, pois a certeza já sabes que não serás correspondido ou confessar e perder no amor e a amizade!

O amor é faca de dois gumes. Mas as vezes fere mais do que uma faca. E as vezes, queima mais do que o fogo do inferno.

Já vi gente a morrer por amor, mas também pessoas a ser salvo por amor. Já vi país a ser destruído por amor, já vi rio de sangue derramado por amor. As vezes o amor trás mais sofrimento que possamos imaginar. Com o amor tudo se justifica, o amor é hipócrita.

Não sou catedrático no amor, não sou doutor do amor e nem tão pouco tenho uma licenciatura no amor.

Talvez porque o único amor que tive deixei o vento levar.

Por isso, que há quem diga que só se ama uma vez.

Espero que um dia esse mesmo vento me leve para onde está a minha amada. Só quero vê-la uma última vez e gravar de vez essa perfeição na minha alma.

Talvez a encontre…!

Geordias Carvalho

Categorias
Amigos Bolhas Liberdade Mãe natureza Sonhos

O tik tok do amanhã…

E continuo a percorrer nesta terra desconhecida sem saber qual o final deste percurso; aguardo  a chegada de um amanhã. Um amanhã abenshonhada.

Mas preocupa-me que o amanhã nunca chegue. O amanhã, ninguém sabe. Limitamos apenas a traçar linhas e pontos de forma a gerar um vislumbre do amanhã, um simples déjà vu…O amanhã quem sabe? De pouco me importa agora…Quero é saber do presente! O amanha só trás preocupações. Limitamos a viver no futuro quando ela nunca chegou, isso é simplesmente desgastante. Andamos de um lado para outro, sempre com os relógios adiantados. Já estou é cansado para as aventuras.

Mas numa terra onde não nos pertence é impossível não pensar no amanhã. O mundo  nos obriga a viver mais no amanhã do que no presente.

Tik…tok, o amanhã está chegando, ou talvez nunca chegue!

Categorias
Motivação Nostalgia Sonhos

Sonhos

-De que são feitos os sonhos?

Perguntou o menino olhando para o velho senhor que encontrará sentado a berma da estrada. O velho senhor, não muito surpreso com a pergunta do pequeno, olhou fixamente para ele que parecia um mine-adulto de pé, pois tinha um ar de muito sério e disse:

-Sonhos são pedaços de retratos das nossas vidas não vividas. Olhando para o menino, apontou-lhe com o dedo no peito e voltou a dizer – sonhos são feitos de meninos assim como tu.

– De meninos como eu? perguntou o menino, mas agora com um olhar que brilhava sobre o velho senhor.

-Sim de menino como tu! Morre um homem, mas com ele inúmeros sonhos. Mas tu és jovem, tens muitos sonhos para viver. Mas o que me dói na alma, são pessoas que vivem os sonhos das outras pessoas e esquecem de viver os seus próprios sonhos.